3 de abr de 2017

Jeito de amar.

Pensando bem,
não quero assim,
foi muito bom,
pra você e pra mim...

O tempo foi,
o tempo passou,
tudo acabou,
mas algo ficou...

Um jeito sem jeito,
fechou o meu peito,
clareou minha mente,
e não foi de repente...

Olhar ausente,
atitudes pendentes,
andar só, só comigo,
assim eu não sigo...

Divergem as mentes,
é só desencontro,
pensar diferente,
sem nenhum encanto...

Melhor separar,
na lembrança guardar,
os bons momentos,
e acabar o tormento...

Se falta carinho,
um vazio, um nada,
se estou cansada,
melhor deixar ir,
eu não sei fingir...


Não é o amor 
que nos faz ficar,
é o perfume, a flor,
é o jeito de amar,
e de se relacionar...

Ligia




2 comentários:

  1. Belo poema, muito sincero.
    Não acho que algo possa ser mais dolorido nesse mundo do que o amor continuar, mas o relacionamento ir à falência. Parece um paradoxo sem fim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo catinho.
      E isso mesmo.
      Boa semana.'

      Excluir